Tag: arte urbana

Exposição Los Primus 2018

EXHIBITION LOS PRIMUS

 

Foram cerca de 3 meses o período de Residência Artística na casa do Olhar Luis Sacilotto, por meio do edital Okupa Cultura 2018 da secretaria de Cultura de Santo André. No entanto, a ocupação aconteceu para além desses momentos pontuais das atividades que ocorreram de julho a setembro, em terças-feiras no horário das 19h às 22h; porque o artista se permitiu participar ativamente das diversas atividades cotidianas da cidade de Santo André, transitando pela periferia e centro da cidade – entre becos e condomínios, estreitando relações institucionais, profissionais e até estabelecendo vínculo afetivo com o público envolvido no processo. Portanto não dá para descartar a metodologia da cartografia afetiva empregada pelo artista durante a ocupação na sua residência artística em Ateliê Aberto, não somente num determinado equipamento público, como também em toda uma cidade, que vive características de uma grande metrópole, mas de proporções menores, visíveis e palpáveis se compararmos a uma capital como São Paulo – por exemplo.
E assim como resultado do processo em Ateliê Aberto, o artista Thiago Vaz nos mostra as obras que produziu ao longo dessa intensa vivência na cidade de Santo André, a qual ele insiste em chamar de “a Capital do ABC”.

Uma das propostas do projeto seria registrar a movimentação da cidade com uma câmera fotográfica em punho, mas ao invés disso, Vaz resolveu ativar a fotografia do olhar e armazenou os dados semióticos no campo da memória, e em seguida salientou em suas obras os fatos mais pertinentes e significativos para a ocasião, e retratou a cidade a partir da disposição de um de seus trabalhos de arte urbana – Los Primus.

Nessa exposição, Los Primus nos mostra o que já é latente em sua composição poética, como que as relações sociais de indivíduos e coletivos conviventes num mesmo lugar, porém, divididos e segregados por territórios: hora de prepotência na disputa do poder; hora de resistência na reivindicação de dignidade; hora de resiliência na conciliação de conflitos para uma pseudopaz que permanece numa guerra silenciosa e nociva para o bem viver de uma cidade.

Portanto, a soma da residência artística com essa exposição é o resultado do olhar e da vivência do artista, trazendo a re-significação de tudo o que é concomitantemente descartado pelos donos da cidade.

 

Los Primus & Jazz, by Fred Chalub

This video is the result of the union of the work of Thiago Vaz and his graffiti with the work of video creator Fred Chalub.
He was able to mix graffiti and jazz in this great video.

see more: https://www.fredchalub.com/


Uma parceria de antiga data resultou nesse belíssimo video do meu amigo video maker, Fred Chalub. Com a sua grande sensibilidade artística ele conseguiu combinar o graffiti e o Jazz numa harmonia super moderna e descolada.

Para conferir outros trabalhos de Fred, basta visitar o seu site: https://www.fredchalub.com/

Uma gigante pintura mural surge na paisagem urbana.

 

Uma empresa de locação de painéis publicitários encomendou uma grande pintura mural que Thiago Vaz executou no muro de uma empresa de moinho de trigo e refinaria de óleo, situada na Marginal Tietê, próximo da Ponte dos Remédios, entre o limite dos municípios de São Paulo e Osasco.

A pintura tem a dimensão de 450 metros quadrados, e conta com o traçado cromático da composição artística que Vaz fez, com referência à situação do Rio Tietê e o habitat da fauna urbana na cidade de São Paulo – com destaque para uma sereia que surpreende os motoristas que trafegam na marginal do Rio, no sentido do interior do estado.

 

 

Los Primus – expressão, estética e comunicação na paisagem urbana.

Thiago Vaz it’s progressing in his work “Los Primus”, to an work serial of street art and murals, uniteding expression and visual nice about minimalist figures on urban landscape.

Thiago Vaz está numa fase de imersão em sua obra Los Primus, se dedicando à série de murais e intervenções, com desenhos simples e divertidos, ao qual obteve êxito em conciliar expressão e estética, com traços fortes e precisos sobre figuras minimalistas, incorporando-se – ou não – a cenários esboçados com padrões gráficos criados a partir do repertório iconográfico do artista. Com esse formato, a série de trabalhos Los Primus cria uma relação direta com a paisagem urbana.

Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Mairia
…Los Primus_2017
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus em Londres
…Los Primus_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017

The Los Primus title to serial work does source from latin expression like “primus civitatis”, that can to mean: first, primitive, parents, brothers, principal (or principal man of the city).

O título Los Primus  surgiu de uma expressão em latim que tem associação aos significados: primeiro, primitivo, princípio, parentes, primos, próximo, irmãos, principais, ”primus civitatis (O principal Homem da cidade).

Repressão contra arte urbana

Prof. Dr. Alexandre Barbosa Pereira e Thiago Vaz em palestra na UFABC sobre a repressão e a criminalização da arte urbana em São Paulo.

Artistas e ativistas de arte urbana estão sofrendo repressão e perseguição desde o mês janeiro  de 2017 por causa de uma agenda política para o marketing espontâneo de governos municipais da região metropolitana de São Paulo, que está pautada no cerceamento das expressões  estéticas  e performáticas manifestadas no espaço público urbano por artistas urbanos – grafiteiros, escritores de graffiti,  pichadores e pixadores. O destaque é da capital paulista que motivou a detenção de dezenas de artistas urbanos num período de três meses e que em tempo recorde sancionou  o projeto de endurecimento da lei para crimes contra o patrimônio público e privado e crime ambiental, previstos aos atos de transgressão de artistas e ativistas que exploram o espaço público para reivindicar o direito à cidade – (ver repercussão desse assunto em resultados de pesquisa).

Os palestrantes do encontro foram o artista urbano Thiago Vaz e o doutor em Antropologia Social, professor Alexandre Barbosa Pereira. Ambos compuseram uma mesa que discutiu o assunto junto aos alunos da Universidade Federal do ABC no campus de Ciências e Humanidades, em São Bernardo do Campo, e que resultou numa conversa construtiva e colaborativa quanto à produção de conhecimento com a temática que merece um maior apreço nos ambientes escolares, desde a base no ensino médio até as mais nobres titulações acadêmicas.

Ficou claro que não se pode negar o evidente interesse das novas gerações sobre o conhecimento das manifestações estéticas e radicais das artes urbanas que interferem na vida social contemporânea – dado o apogeu dessa linguagem artística em pleno século XXI.

O artista Urbano e idealizador da ELAU – Escola Livre de Artes Urbanas -, Thiago Vaz, exibiu uma mostra das manifestações de arte urbana existente no mundo todo e endossou à necessidade das obras de arte não encomendada que surgem a todo o momento e em todo o mundo, graças a ousadia de artistas irreverentes, contemporâneos desse movimento de arte que não para de crescer.

O professor e doutor Alexandre Barbosa Pereira apresentou a sua pesquisa sobre o circuito do movimento do pixo de toda a região metropolitana de São Paulo. E abarcou em sua análise as implicações sociais as quais envolvem os pixadores da velha e da nova escola desse seguimento estético e de códigos de conduta peculiares que se difere das de outros lugares do mundo, considerando os diversos aspectos da cultura de periferia predominante nessa rede social off-line –  conforme a denominação do professor.

Após a conversa, Thiago Vaz realizou uma intervenção de pôsteres com técnica de lambe-lambe em mobiliários da universidade.

Oficina e intervenção de lambe lambe em mobiliários da UFABC