Tag: arte urbana

Uma gigante pintura mural surge na paisagem urbana.

 

Uma empresa de locação de painéis publicitários encomendou uma grande pintura mural que Thiago Vaz executou no muro de uma empresa de moinho de trigo e refinaria de óleo, situada na Marginal Tietê, próximo da Ponte dos Remédios, entre o limite dos municípios de São Paulo e Osasco.

A pintura tem a dimensão de 450 metros quadrados, e conta com o traçado cromático da composição artística que Vaz fez, com referência à situação do Rio Tietê e o habitat da fauna urbana na cidade de São Paulo – com destaque para uma sereia que surpreende os motoristas que trafegam na marginal do Rio, no sentido do interior do estado.

 

 

Los Primus – expressão, estética e comunicação na paisagem urbana.

Thiago Vaz it’s progressing in his work “Los Primus”, to an work serial of street art and murals, uniteding expression and visual nice about minimalist figures on urban landscape.

Thiago Vaz está numa fase de imersão em sua obra Los Primus, se dedicando à série de murais e intervenções, com desenhos simples e divertidos, ao qual obteve êxito em conciliar expressão e estética, com traços fortes e precisos sobre figuras minimalistas, incorporando-se – ou não – a cenários esboçados com padrões gráficos criados a partir do repertório iconográfico do artista. Com esse formato, a série de trabalhos Los Primus cria uma relação direta com a paisagem urbana.

Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Mairia
…Los Primus_2017
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus em Londres
…Los Primus_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017

The Los Primus title to serial work does source from latin expression like “primus civitatis”, that can to mean: first, primitive, parents, brothers, principal (or principal man of the city).

O título Los Primus  surgiu de uma expressão em latim que tem associação aos significados: primeiro, primitivo, princípio, parentes, primos, próximo, irmãos, principais, ”primus civitatis (O principal Homem da cidade).

Repressão contra arte urbana

Prof. Dr. Alexandre Barbosa Pereira e Thiago Vaz em palestra na UFABC sobre a repressão e a criminalização da arte urbana em São Paulo.

Artistas e ativistas de arte urbana estão sofrendo repressão e perseguição desde o mês janeiro  de 2017 por causa de uma agenda política para o marketing espontâneo de governos municipais da região metropolitana de São Paulo, que está pautada no cerceamento das expressões  estéticas  e performáticas manifestadas no espaço público urbano por artistas urbanos – grafiteiros, escritores de graffiti,  pichadores e pixadores. O destaque é da capital paulista que motivou a detenção de dezenas de artistas urbanos num período de três meses e que em tempo recorde sancionou  o projeto de endurecimento da lei para crimes contra o patrimônio público e privado e crime ambiental, previstos aos atos de transgressão de artistas e ativistas que exploram o espaço público para reivindicar o direito à cidade – (ver repercussão desse assunto em resultados de pesquisa).

Os palestrantes do encontro foram o artista urbano Thiago Vaz e o doutor em Antropologia Social, professor Alexandre Barbosa Pereira. Ambos compuseram uma mesa que discutiu o assunto junto aos alunos da Universidade Federal do ABC no campus de Ciências e Humanidades, em São Bernardo do Campo, e que resultou numa conversa construtiva e colaborativa quanto à produção de conhecimento com a temática que merece um maior apreço nos ambientes escolares, desde a base no ensino médio até as mais nobres titulações acadêmicas.

Ficou claro que não se pode negar o evidente interesse das novas gerações sobre o conhecimento das manifestações estéticas e radicais das artes urbanas que interferem na vida social contemporânea – dado o apogeu dessa linguagem artística em pleno século XXI.

O artista Urbano e idealizador da ELAU – Escola Livre de Artes Urbanas -, Thiago Vaz, exibiu uma mostra das manifestações de arte urbana existente no mundo todo e endossou à necessidade das obras de arte não encomendada que surgem a todo o momento e em todo o mundo, graças a ousadia de artistas irreverentes, contemporâneos desse movimento de arte que não para de crescer.

O professor e doutor Alexandre Barbosa Pereira apresentou a sua pesquisa sobre o circuito do movimento do pixo de toda a região metropolitana de São Paulo. E abarcou em sua análise as implicações sociais as quais envolvem os pixadores da velha e da nova escola desse seguimento estético e de códigos de conduta peculiares que se difere das de outros lugares do mundo, considerando os diversos aspectos da cultura de periferia predominante nessa rede social off-line –  conforme a denominação do professor.

Após a conversa, Thiago Vaz realizou uma intervenção de pôsteres com técnica de lambe-lambe em mobiliários da universidade.

Oficina e intervenção de lambe lambe em mobiliários da UFABC

 

 

 

Artistic interference 7 km/h

The public space in the city is aggressive with the constant presence of urban elements, as the transit signs to cars between other things.

With the proposal to humanizing the city, the visual artist Thiago Vaz does artistic interference in public space from underground of São Paulo city with transit object for signalization to velocity limited walking, with installation from traffic signal of 7km/h for pedestrian.

interferência 7km/h na Free Beats, Viaduto do Chá, SPinterferência 7km/h na Free Beats, Viaduto do Chá, SP

O espaço público no âmbito da cidade é agressivamente marcado com sinalizações de trânsito para
o ordenamento urbano, considerando os sujeitos elementares que o compõe: veículos automotores,
bicicletas e pedestres.

A massiva presença de elementos físicos e iconográficos de sinalização de
trânsito, dá o tom visual de uma cidade automobilística, como se ela fosse pensada somente para
carros. Seguindo esse ponto vista o artista Thiago Vaz traz para o espaço público a proposta de
humanizar a cidade com uma sinalização de trânsito também para o pedestre.

Considerando a mobilização expressiva do pedestre na cidade de São Paulo, porém com espaços
bem mais reduzidos comparado aos dos veículos automotores, a obra reivindica o direito à cidade:
até que ponto a cidade oferece políticas púbicas efetivas ao pedestre, além da própria faixa de pedestre?
Como está a situação das calçadas e dos passeios urbanos?

E com uma dose de humor a obra ironiza a pressa do pedestre paulistano, que caminha cerca de 4
km/h para atender as demandas inesgotáveis do cotidiano, porém a velocidade máxima permitida
sugerida pela poesia da interferência, é de 7 km/h.

Interferência com placa de sinalização de pedestre no Largo da Batata metrô Faria Lima SP

interferência 7km/h na Passagem literária da Consolação, em São Paulo

Instalação SURGIMENTE

Exhibition and installation site especific SURGIMENTE, São Paulo – BR, year 2015.

 

apresenta_obra

A exposição SURGIMENTE (23/09 -23/10/2015) se trata de instalação site specific que atualmente ocupa a entrada do prédio do Atelier Amarelinho da Luz – Pessoal do Faroeste.  A obra permanece no prédio e está passiva de receber interferências, como as que foram feitas por artistas de coletivos residentes na ocupação.

 

Artistic Residence in occupation of historic building in the central region from São Paulo city.

Residência/ocupação artística no Atelier Amarelinho da Luz Pessoal do Faroeste

Do início de 2015 Thiago Vaz esteve como artista residente no Atelier Amarelinho da Luz Pessoal do Faroeste, situado no centro de São Paulo. Prédio histórico de grande relevância artística para a cidade de São Paulo quando se tornara, no ano de 2005, o Atelier Amarelo, que teve a curadoria da artista Maria Bonomi, que na época proporcionou a comunhão de importantes artistas.

Hoje, o espaço se configura num formato de ocupação artística mais abrangente, recebendo artistas dos mais diversos fragmentos da capital paulista.

Neste novo período de residência/ocupação artístico no prédio em questão, houve o surgimento da Escola Livre de Artes urbanas, a ELAU SP, um desdobramento dos coletivos Substancial e Graffiti com Pipoca, sob a idealização de Thiago Vaz. A vivência também culminou em outras experimentações artísticas vivenciadas no centro de São Paulo, compartilhando sensações diversas com a população frequentadora da então denomiada, pejorativamente, como Cracolândia.