Tag: facebook

#

ACUMULAÇÃO

É o registro da ação artística que eu realizei durante o período de 7 dias, entre 02 e 08 de abril de 2021. Eu utilizei as mídias sociais como suporte para compartilhar o processo dos meus registros fotográficos com o público que está conectado na minha rede social online.

As fotografias foram produzidas com a câmera do meu smartphone, e neste mesmo dispositivo móvel também está instalado um aplicativo de publicação e compartilhamento de fotos instantâneas em mídias sociais, onde existe um recurso de postagens efêmeras conhecido como “stories”, e que permite que a publicação “informal” fique disponível no ar por 24 horas.

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Foram 7 publicações ao longo de uma semana, onde cada uma era composta por 2 fotografias digitais no formato vertical – uma em seguida da outra. Cada foto foi exibida no storie por cerca de 5,85 segundos até que passasse automaticamente para a foto seguinte.

A ação aconteceu de forma sistemática, em acompanhamento as atualizações dos dados obtidos no portal “susanalitico.saude.gov.br” que registra o número de óbitos acumulados por Covid-19 no Brasil. As fotos foram produzidas diariamente, com base nos dados atualizados no analítico do portal.

Registro de tela em dispositivo móvel com acesso ao portal https://susanalitico.saude.gov.br em 04 de abril de 2021

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

O motivo da ação foi prestar solidariedade às milhares de pessoas que perderam algum ente querido por Covid-19 desde o início da pandemia. Os números que foram carimbados em máscaras cirúrgicas descartáveis; no tórax de um corpo; em fitas zebradas afixadas em portas de aço; em envelopes de depósito bancário; e até a intervenção na numeração (ml) em seringas descartáveis; todos estes representam as vidas extraídas pela maneira como é encarada a pandemia de Covid-19 no Brasil. Seria uma forma de sintetizar, por meio dessas fotografias, os fatos que tentam retratar a complexidade do momento em que vivemos: negação, desinformação, “necropolítica”, desemprego, aumento dos preços, auxílio emergencial, o fecha e abre da economia, a urgência da vacina, a resistência à vacina, entre tantos outros fatos somados ao desrespeito à vida.

Registro de tela em dispositivo móvel com acesso ao portal https://susanalitico.saude.gov.br em 05 de abril de 2021

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Na totalidade da ação, a subjetividade no apelo da imagem se refere ao descarte da vida. Os números de óbitos acumulados que ganham novas proporções a cada dia são cotidianamente naturalizados por indivíduos que expressam ignorância e morbidez. É importante registrar que estes óbitos acumulados são dos corpos que já tiveram vidas, que estavam distribuídas neste vasto território, e cada uma delas continha um universo familiar.

A opção pela ação artística acontecer na mídia social tem muitos sentidos que devem ser notados pelo expectador que se dispõe em aceitar as aparições dos registros fotográficos como uma interferência na sua confortável rede social.

Registro de tela em dispositivo móvel com acesso ao portal https://susanalitico.saude.gov.br em 06 de abril de 2021

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.

Registro de tela em dispositivo móvel com fotografia publicada no stories de rede social.