Tag: Pixo

Performance de Pixo Los Primus em 5Pointz europeu

Foto: Selim
Foto: Selim
Foto: Selim
Foto: Selim

Fotos: Selim

Thiago Vaz enjoyed his stayed on artistic residence in Mural Harbor to make an performance at the Pixo representation, from São Paulo original style on the wall of the building which Mural Harbor named “5 Pointz” from europe.

Thiago Vaz aproveitou a sua estadia na residência artística de Mural Harbor e realizou uma performance de representação do Pixo de São Paulo em um prédio que o Mural Harbor nomeou como o “5Pointz” da Europa.


http://5ptz.com/wednesday-oct-2nd-5-pointz-needs-you/

fonte: http://5ptz.com/about/

The name 5Pointz signifies the five boroughs coming together as one but, because of its reputation as an epicenter of the graffiti scene, the industrial complex has actually united aerosol artists from across the world. Legendary writers from Canada, Switzerland, the Netherlands, Japan, Brazil, and all over the United States have painted on the building walls, including Stay High 149, Tracy 168, Cope2, Part, and Tats Cru.

5Pointz significa o nome de um prédio que tem sido considerado o santuário do graffiti em Nova York por ser um espaço que reúne diversas assinaturas (tags) e pieces de escritores de graffiti (graffiti writers) de várias partes do mundo.

 

Repressão contra arte urbana

Prof. Dr. Alexandre Barbosa Pereira e Thiago Vaz em palestra na UFABC sobre a repressão e a criminalização da arte urbana em São Paulo.

Artistas e ativistas de arte urbana estão sofrendo repressão e perseguição desde o mês janeiro  de 2017 por causa de uma agenda política para o marketing espontâneo de governos municipais da região metropolitana de São Paulo, que está pautada no cerceamento das expressões  estéticas  e performáticas manifestadas no espaço público urbano por artistas urbanos – grafiteiros, escritores de graffiti,  pichadores e pixadores. O destaque é da capital paulista que motivou a detenção de dezenas de artistas urbanos num período de três meses e que em tempo recorde sancionou  o projeto de endurecimento da lei para crimes contra o patrimônio público e privado e crime ambiental, previstos aos atos de transgressão de artistas e ativistas que exploram o espaço público para reivindicar o direito à cidade – (ver repercussão desse assunto em resultados de pesquisa).

Os palestrantes do encontro foram o artista urbano Thiago Vaz e o doutor em Antropologia Social, professor Alexandre Barbosa Pereira. Ambos compuseram uma mesa que discutiu o assunto junto aos alunos da Universidade Federal do ABC no campus de Ciências e Humanidades, em São Bernardo do Campo, e que resultou numa conversa construtiva e colaborativa quanto à produção de conhecimento com a temática que merece um maior apreço nos ambientes escolares, desde a base no ensino médio até as mais nobres titulações acadêmicas.

Ficou claro que não se pode negar o evidente interesse das novas gerações sobre o conhecimento das manifestações estéticas e radicais das artes urbanas que interferem na vida social contemporânea – dado o apogeu dessa linguagem artística em pleno século XXI.

O artista Urbano e idealizador da ELAU – Escola Livre de Artes Urbanas -, Thiago Vaz, exibiu uma mostra das manifestações de arte urbana existente no mundo todo e endossou à necessidade das obras de arte não encomendada que surgem a todo o momento e em todo o mundo, graças a ousadia de artistas irreverentes, contemporâneos desse movimento de arte que não para de crescer.

O professor e doutor Alexandre Barbosa Pereira apresentou a sua pesquisa sobre o circuito do movimento do pixo de toda a região metropolitana de São Paulo. E abarcou em sua análise as implicações sociais as quais envolvem os pixadores da velha e da nova escola desse seguimento estético e de códigos de conduta peculiares que se difere das de outros lugares do mundo, considerando os diversos aspectos da cultura de periferia predominante nessa rede social off-line –  conforme a denominação do professor.

Após a conversa, Thiago Vaz realizou uma intervenção de pôsteres com técnica de lambe-lambe em mobiliários da universidade.

Oficina e intervenção de lambe lambe em mobiliários da UFABC