Tag: streetart

Los Primus – expressão, estética e comunicação na paisagem urbana.

Thiago Vaz it’s progressing in his work “Los Primus”, to an work serial of street art and murals, uniteding expression and visual nice about minimalist figures on urban landscape.

Thiago Vaz está numa fase de imersão em sua obra Los Primus, se dedicando à série de murais e intervenções, com desenhos simples e divertidos, ao qual obteve êxito em conciliar expressão e estética, com traços fortes e precisos sobre figuras minimalistas, incorporando-se – ou não – a cenários esboçados com padrões gráficos criados a partir do repertório iconográfico do artista. Com esse formato, a série de trabalhos Los Primus cria uma relação direta com a paisagem urbana.

Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Mairia
…Los Primus_2017
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus in Progress. Foto: Vanessa Maria
Los Primus em Londres
…Los Primus_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017
Los_Primus_Mural-Harbor_2017

The Los Primus title to serial work does source from latin expression like “primus civitatis”, that can to mean: first, primitive, parents, brothers, principal (or principal man of the city).

O título Los Primus  surgiu de uma expressão em latim que tem associação aos significados: primeiro, primitivo, princípio, parentes, primos, próximo, irmãos, principais, ”primus civitatis (O principal Homem da cidade).

Artistic interference 7 km/h

The public space in the city is aggressive with the constant presence of urban elements, as the transit signs to cars between other things.

With the proposal to humanizing the city, the visual artist Thiago Vaz does artistic interference in public space from underground of São Paulo city with transit object for signalization to velocity limited walking, with installation from traffic signal of 7km/h for pedestrian.

interferência 7km/h na Free Beats, Viaduto do Chá, SPinterferência 7km/h na Free Beats, Viaduto do Chá, SP

O espaço público no âmbito da cidade é agressivamente marcado com sinalizações de trânsito para
o ordenamento urbano, considerando os sujeitos elementares que o compõe: veículos automotores,
bicicletas e pedestres.

A massiva presença de elementos físicos e iconográficos de sinalização de
trânsito, dá o tom visual de uma cidade automobilística, como se ela fosse pensada somente para
carros. Seguindo esse ponto vista o artista Thiago Vaz traz para o espaço público a proposta de
humanizar a cidade com uma sinalização de trânsito também para o pedestre.

Considerando a mobilização expressiva do pedestre na cidade de São Paulo, porém com espaços
bem mais reduzidos comparado aos dos veículos automotores, a obra reivindica o direito à cidade:
até que ponto a cidade oferece políticas púbicas efetivas ao pedestre, além da própria faixa de pedestre?
Como está a situação das calçadas e dos passeios urbanos?

E com uma dose de humor a obra ironiza a pressa do pedestre paulistano, que caminha cerca de 4
km/h para atender as demandas inesgotáveis do cotidiano, porém a velocidade máxima permitida
sugerida pela poesia da interferência, é de 7 km/h.

Interferência com placa de sinalização de pedestre no Largo da Batata metrô Faria Lima SP

interferência 7km/h na Passagem literária da Consolação, em São Paulo